sexta-feira, 16 de abril de 2010

MEC vai entregar 150 mil laptops em 2010.



O Ministério da Educação (MEC) vai distribuir 150 mil computadores portáteis para alunos de 300 escolas da rede pública de ensino em todo país. A entrega começou hoje (15) do com a distribuição do primeiro lote dos laptops educacionais do programa Um Computador por Aluno (UCA).

Nesta primeira etapa serão distribuídas 33.765 máquinas para 85 escolas em 10 estados. Segundo o MEC, a distribuição começa por Minas Gerais, um dos cinco municípios nos quais todas as escolas receberão o computador portátil. Serão beneficiadas seis escolas municipais e uma estadual que totalizam 1.172 alunos.

O prazo para a entrega do primeiro lote é o dia 13 de maio. Os equipamentos têm garantia de um ano. Cada laptop possui sistema de segurança. Caso fique muito tempo fora da escola, ele é desativado e só pode ser reativado se retornar à instituição. A forma como os alunos utilizarão os computadores portáteis será de acordo com o projeto pedagógico de cada escola.

O laptop educacional possui capacidade de armazenamento de 4 gigabytes, 512 megabytes de memória, tela de cristal líquido de sete polegadas, bateria com autonomia mínima de três horas e peso de 1,5 kg, além de ser equipado para rede sem fio para conexão de internet. O custo por equipamento é de R$ 550. O investimento total foi de R$ 82 milhões.

Um comentário:

lucia disse...

Os industriários da cal já estão liberados para voltar a produzir.

Conversei agora há pouco com o Secretário de Meio Ambiente, Sandoval Olegário, e ele me informou do resultado da audiência realizada entre Associação dos Produtores da Cal de Dix-sept Rosado, Mineração Ouro Branco, Diretoria do IDEMA, Superintendência do IBAMA, Prefeitura Municipal e Procuradoria Pública, que deliberou sobre o fim do embargo que sofriam os forneiros locais.

A audiência aconteceu hoje em natal das 14h00 às 18h00.

Estiveram presentes além dos representantes destacados acima, a Prefeita Lanice Ferreira e o Chefe de Gabinete Paulo Cesar.

A Associação dos produtores firmou compromisso de utilizar como combustível para queima dos seus fornos a casca da castanha, algaroba e cajueiro, bem como assinaram um TAC – Termo de Ajustamento de Conduta, que delineia outras obrigações para continuar realizando suas atividades industriais.

informações retiradas do blog the place.